quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Abnegado

Imagem: google

Dar uma flor:

Um gesto tão singelo.

Manifesto de amor profundo.

Atitude tão bonita.

Elogiada por todo mundo.


Difícil crer, mas há quem veja isso

Como um ato descompensado.

Devemos levar a flor à pessoa?

Ou, a pessoa ao floral?

Para que este seja contemplado?

Não é minha opinião.

Mas será, quando for um abnegado.

sábado, 17 de setembro de 2011

Lírica dos ventos



Minha amada querência gaúcha,
Tens tradição, tens memória.
Teus bons momentos são muitos.
Tua história, tua glória.

Teus ventos são poetas,
Que uivam, assoviam e cantam.
Não precisam de muito.
Singelos, que encantam.

Para quem quiser ouvir.
Compositores da própria orquestra.
Só lhes basta ter a disposição:
Uma soleira, um oitão ou uma fresta.

Cantam de peito aberto.
Não cansam, não desafinam.
Entoam versos e poesias.
Letras que nos animam.

Teus ventos, meu pago,
Vêm pesados de emoção.
Saudoso cheiro de terra molhada
Das quentes tardes de verão.

Ouço lírica de bom gosto.
Que eleva meus pensamentos.
Grande presente de minha terra.
Para mim, é a lírica dos ventos.

Alex Dahlke


Imagem: O pampa gaúcho - álbum da web de Susete Pedroso

domingo, 11 de setembro de 2011

Decadência

Estados Unidos como já sabem

Dono do mundo e maioral

A princípio, se achou no direito

De semear guerra e muito mal


Cresceu, tornou-se forte

E diz levar a liberdade

Para todos os povos

Que vivem na marginalidade


Às margens do Hudson

Ecoou de sul a norte

O estrondo aterrorizador

Da decadência e da morte


Alex Dahlke

11 de setembro


* Versão da primeira poesia por mim recitada - no ensino fundamental.

Está transcrita abaixo, em comentários.


segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Levanta-te

Levanta-te, homem

Erga-se. Tenha garra

Use a força que Deus te deu

Use os músculos de teu abdômen


Para alinhar tua espinha

Acertar tua postura

Tire o arquear das costas

Levante os olhos e siga a linha


Limpe as lágrimas e mire o horizonte

Infle o peito. Dê um passo

Por mais duro que foi teu passado

Ficou no dia de ontem


Caminhe firme e veja a luz

O hoje é o teu presente

Tenha fé e acredite nele

Que já carregou tua cruz


Alex Dahlke