sábado, 8 de setembro de 2012

Espero




Sem você por perto
Coração fica deserto
E machuca, a solidão
Perco o sentido
Ando na contramão
Diamante perde o brilho
Sou trem fora do trilho
Faca sem gume
Sinto falta do seu ciúme
Daquele doce perfume
Que um dia eu provei

Sua ausência me desfaz
Torno-me incapaz
De dar brilho a poesia
Que ora, mostra-se sombria
Sem tocar o coração
Que implora por perdão
Para, enfim, se acalmar

Já não luto contra a dor
Das flechadas desse amor
Que trará você para mim
O que sinto é muito forte
Para não alimentar
Não acredito na sorte
Mas juro, até a morte
Espero você me amar

Alex Dahlke